A Semana da Mulher na CASA de Aprendizagens

Semana da Mulher na Casa de Aprendizagens

A programação na semana da mulher

Uma educação igualitária é o pressuposto para a sustentação de um dos pilares da CASA de Aprendizagens: a Democracia. Nesse sentido, entendemos o 08 de março – Dia Internacional da Mulher – como uma data importante para lembrar da imensa luta das mulheres e de muitas que, ainda hoje, seguem em espaços desiguais. E, por isso, ela não significa, para nós, apenas uma data a ser comemorada como um dia especial do calendário.

A igualdade de gênero se define pela busca de equivalência social entre os vários gêneros. E se justifica pela desigualdade historicamente construída entre homens e mulheres, expressa de diversas formas em âmbito político, econômico e doméstico.

A defesa da igualdade de gênero não é só necessária, como urgente, tendo em vista se tratar de um direito humano essencial para uma sociedade livre. Na CASA de Aprendizagens, acreditamos que o empoderamento de mulheres e meninas tem um efeito multiplicador e pode colaborar para a construção de um mundo mais justo.

Semana da Mulher na Casa de Aprendizagens

Desse pensamento, nasceu o desejo de abrirmos as portas de nossas CASAS para conhecermos os muitos talentos das mulheres da nossa comunidade! Ao longo da Semana da Mulher, tivemos a participação mais do que especial de mães da CASA em nosso cotidiano, trazendo para os estudantes música, reflexão e muito afeto. Confira abaixo o que compôs a nossa programação.


Vivência de Música Corporal - com Elinka Matusiak

Elinka Matusiak é fundadora e diretora do grupo Artístico Batukatu, núcleo de estudos e vivências em música corporal, que surgiu em Porto Alegre no ano de 2010. Desenvolvendo uma metodologia própria a partir da experiência do BatuKatu, ela busca hoje formar multiplicadores, praticantes e apreciadores da música corporal.

Assim, a Vivência de Música Corporal, com Elinka Matusiak viabilizou a experimentação da sonoridade e do lúdico no corpo, de forma libertadora. Por meio dessa atividade, pode-se refletir sobre certas desconstruções socioculturais, como, por exemplo, o modo como são tratadas e retratadas as mulheres na música.


Ukulele - com Bell Mota

Bell Mota é vocalista do grupo Bell & The Boys, que trabalha uma abordagem contemporânea de clássicos do pop, rock e jazz, se apresentando em bares, casas de show, ruas e parques de São Paulo. Em um pocket show para as crianças soltarem o corpo e brincarem com o som, Bell Mota compartilhou o seu talento musical, acompanhada de seu ukulele.


Antirracismo - com Magda Figueiredo

Mulher negra, mãe e educadora parental, Magda Figueiredo milita pelo antirracismo, na perspectiva da existência e da resistência. Existência que, como ela define, se refere aos aprendizados na sua pele, e resistência que diz respeito ao aprendizado no seu intelecto.

Para discutir essas questões, Magda Figueiredo propôs um quiz divertido, com letramento racial. A partir de uma visão afrocentrada, o jogo abordou mulheres negras que fizeram e fazem a diferença no mundo.


Jogo de Cartas Direitos e Silêncios - com Claudia Mussolini

A fim de evidenciar o processo histórico da conquista das leis que amparam as mulheres, um outro jogo foi proposto por Claudia Mussolini. Nosso país possui a quinta maior taxa de feminicío do mundo, o que revela o grande número de casos de violência doméstica, cárcere privado e estupros.

Tendo isso em vista, cinco leis brasileiras foram criadas exclusivamente para assegurar os direitos das mulheres. E, para o conhecimento dessas iniciativas e de suas necessidades, a dinâmica coordenada por Claudia Mussolini teve por objetivo evidenciar as regulamentações e códigos brasileiros que garantem (ou não) os direitos das mulheres.


É na lógica de conscientização e equidade de direitos que celebraremos o dia 08 de março. Um dia que simboliza a luta histórica, diária e presente no ESPERANÇAR para a criação de um novo mundo. Muito já foi feito, mas ainda há muito a se fazer.

Registramos também algumas vozes das pessoas da nossa CASA que se reconhecem / identificam como Mulheres para um ESPERANÇAR POLIFÔNICO. Cada uma delas respondem à questão: “Quais são os anúncios e as denúncias urgentes das mulheres em 2022?” Confira alguns depoimentos a seguir!


Agende Uma Visita

Casa 1
Rua Dona Germaine Burchard, 197 - Perdizes
Fones: (11) 3862-0934 | (11) 3675-1474

Casa 2
Rua Dona Germaine Burchard, 239 - Perdizes
Fone.: (11) 2338-3920

Casa da Primeiríssima Infância
Rua Melo Palheta, 57 - Perdizes
Fone: (11) 2373-5616

fale conosco

Celular/WhatsApp:
(11) 94593-9959

redes sociais

Casa de Aprendizagens
© 2019-2022 - CASA de Aprendizagens - Todos os direitos reservados